sexta-feira, agosto 22, 2008

Uma grande verdade...

"Quando damos uma oportunidade às pessoas e as deixamos retratarem-se dos seus erros, grandes coisas acontecem e eu sou o exemplo perfeito disso." disse Eric Lamaze, cavaleiro canadiano vencedor da Medalha de Ouro Individual em Saltos de Obstáculos. "Não podemos desistir das pessoas, elas podem fazer coisas fantásticas nas suas vidas, não importa o que tenha acontecido anteriormente."

in Portal Equisport, 22/08/2008

Eric Lamaze fora afastado, por duas vezes, da Equipa Olímpica do Canadá por consumo de cocaína. Recorreu das sentenças e venceu, no tribunal, vencendo agora a mais dura batalha de todas que um ser-humano pode travar: a da vida.
Em Pequim, Lamaze levou para casa o Ouro Individual e a Prata por Equipas, na disciplina de Saltos de Obstáculos.
Escolhi escrever este post não porque apoie o que o atleta fez no passado mas por aquilo de que tomou consciência: errou, falhou e trabalhou para se redimir. Teve a oportunidade e agarrou-a. Outros há que têm as oportunidades e deixa-nas ir. Outros há ainda que, por mais que procurem uma oportunidade, ela não aparece.
Todos nós, num passado mais ou menos distante, cometemos erros ou falhamos nos nossos objectivos. Infelizmente, não depende tudo de nós. Conseguir ultrapassar os obstáculos da vida, contornar os dissabores e superar as derrotas depende também daquilo que os outros (sejam eles pessoas do domínio público ou privado, com responsabilidade estatal ou não) nos permitam fazer.
É que, às vezes, deparamos com obstáculos maiores que montanhas.
E muitas vezes são os nossos semelhantes que os colocam...

15 comentários:

Miguel F. Carvalho disse...

e aquele nosso atleta que desistiu porque o seu cavalo nunca tinha visto um painel electrónico??!!

Kikas disse...

Miguel,

o tema aqui é dar a volta por cima, não são os Jogos Olímpicos em si.

No meu post anterior falo nessa situação, que passo a transcrever: "...e a Oxalys da Meia-Lua (Portugal) a empinar-se a meio da prova, assustada com o monstruoso monitor de projecção, que aumentava os bichinhos em 10x... situação pela qual também passou Stachmo, da campeã alemã Isabel Werth e quase a fez perder o Grande Prémio Especial... já nos treinos vários cavaleiros se haviam queixado à organização contra o monitor, inclusivamente Stachmo se havia empinado de tal maneira que, por sorte, não caiu sobre as costas... "

Não era um simples painel electrónico... foi um ecrã do tamanho de uma tela de cinema!

Maria Manuela disse...

Pois eu sabia que tinha acontecido alguma coisa com o animal, só não tinha percebido bem o quê e não me surpreende que um anima l tão sensível quanto um cavalo tenha reacções dessas perante um cenário daqueles que a meu ver nem sequer deveria ser permitido estando animais envolvidos nas provas. O espectáculo não fica menos bonito se houver menos iluminação e paineis televisivos mais pequenos.

Quanto ao teu post, deixa-me dizer-te que as pessoas são exímias a apontar o dedo. Lamentavelmente esquecem-se de olhar para si...

bjo

PsYcHo_MiNd disse...

Depois não há-de de haver por ai muitos que preferem ficar deitadinhos na caminha! Penas que muitos que deveriam de ficar é que não ficam!

Rocket disse...

belo post

acreditar em quimeras é mais fácil que na vontade alheia. isso explica-se porque quem acredita, ou não, é pouco digno de crédito... nivelar pela mediocridade, mais uma vez. a última é a de quem na comunidade científica agora não creia que se tenha ido à lua...

ele há cada um...

o canadá é um exemplo de país.

beijinhos cavalinhos

AnA disse...

A grandeza das pessoas não está no facto de nunca terem errado, mas como enfrentam e ultrapassam esses erros . Bom Blogue ;-)

Kikas disse...

Maria Manuela,
sim, infelizmente apontar o dedo e criticar é o mais fácil de tudo. Dificil é dar a volta por cima, querer ir mais além e não poder, cortarem-te as pernas só porque 1 dia fizeste algo "errado".


Psycho,
os nossos atletas tiveram umas saídas muito infelizes para justificarem as suas falhas mas, no fundo, a justificação é simples: a pressão a que se está sujeito numa competição deste nível é para lá de imaginável por pessoas como nós, não-atletas. Além disso, caía sobre os ombros deles uma responsabilidade enorme: maior comitiva de sempre, o maior investimento alguma vez feito na sua preparação e PROMESSAS de medalhas.
Mas, lá está, não será de dar uma 2ª oportunidade aqueles que se queiram redimir, tal como o Canadá fez com este atleta?

Rocket,
o problema dos portugueses continua a ser o fado. Trabalhar para se desenvolver é que tá quieto! Agora que se fala em dar mais € para a preparação do Comissão para Londres 2012 é também motivo de burburinho! Mas as pessoas acham que se arranjam campeões por 3 tostões?? Olhem para paises como os EUA, o que eles investem na preparação dos seus atletas!
Mas a tónica do post nem são os J.O. e a prestação dos portugueses. Apesar da frase ter sido dita por um atleta... o que eu queria mesmo sublinhar é que, às vezes, só a vontade de vencer não é suficiente. O apoio que se tem (ou não) é o maior impulsionador dos vencedores.
Essa do Homem nunca ter ido à Lua também já tinha ouvido... bem, se calhar nem Marte existe!

Ana,
captaste plenamente a mensagem! Mas ser grande é também não apontar o dedo aos outros. Erros cometemos todos, está no âmago do ser humano. É com os erros que se aprende!
Obrigada pela visita, volta sempre!

mtheman disse...

olha lá, tu no sábado pela tardinha foste à casa da guia por acaso???

Kikas disse...

Por acaso, por acaso.... FUI! Mas tu e a tua esposa já estavam de saída e já não deu para meter conversa...

mtheman disse...

então eras mesmo tu :P

Kikas disse...

Era eu era! Mas estava lá tanta gente, qualquer uma podia ser eu :-DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

Anuska disse...

bem que o "M" disse que tinha a impressão que eras tu.... que pena...

quanto ao teu post, gostei bastante de o ler e infelizmente é mais fácil criticar os erros dos outros do que elogiar os feitos e acho que apesar do passado deste atleta ele é a prova viva de que só não muda quem não quer!!

Bjokas e bom fds

Kikas disse...

Anuska,
é isso mesmo! A mensagem é mesmo essa. No entanto, a minha intenção não é apenas voltada para a participação dos nossos atletas. A minha intenção é passar 1 mensagem mais ampla.

Ju disse...

Kikas, aquela do cavalo que se assustou com o painel... é dura demais para engolir.
Acho que ng estava bem preparado, nem cavaleiros nem cavalos.
B.Ju

Kikas disse...

Ju,
como já disse a outras pessoas que por aqui passaram, o objectivo do post não estava directamente relacionado com a prestação dos atletas nos Jogos Olímpicos, isso ficou noutros post's atrás.
Li a frase, gostei e achei que se aplicava, de um modo geral, nas nossas vidas. Por acaso foi de um atleta olímpico, por acaso foi um cavaleiro. Podia ter sido um homem do lixo a dizê-la, o que me interessou foi a mensagem que ela contém.

Quanto à observação sobre o cavalo que se assustou com o painel, por favor lê o post anterior, tens lá a explicação.

Os cavalos são animais extremamente sensíveis e as éguas, mais do que os cavalos, são completamente imprevísiveis. Conseguem ser mais traiçoeiras do que os cavalos.

Não é desculpa, nem é dura ou mole de engolir, é uma verdade a que as pessoas que não montam ou não têm qualquer contacto com cavalos não estão preparadas para entender.