segunda-feira, agosto 18, 2008

Lusitanos Olimpicos

Bem, para quem acompanhou as provas dos nossos Lusitanos sabe que pouco mais se podia esperar da sua participação. Chegar às medalhas, neste desporto, implicava um maior investimento financeiro e uma outra visão sobre o desporto, que em Portugal se resume ao esforço pessoal de cada atleta, seja em que disciplina for.
No caso do hipismo, essa abordagem implica um sem número de coisas (que não vale a pena especificar para não ferir algumas susceptibilidades). Para quem anda no meio ou conhece minimamente este desporto só terá uma linha de pensamento: "Somos portugueses contra alemães, holandeses e finlandeses e montando Lusitanos contra Hanoverianos, KWPN e Holsteins. Chegar aos Jogos Olímpicos com cavalos Lusitanos já é uma Medalha de Ouro conquistada!"
Para quem não conhece nada deste meio a única coisa que pensará é: "Bolas pá, não fazem nada... andam lá a gastar o dinheiro dos contribuintes só para passear!" A esses, os amantes, praticantes e profissionais dos cavalos respondem: "Até parece que no futebol se faz alguma coisa de jeito..." Enfim, será sempre a eterna guerra...
Fazendo o balanço final, podemos dizer que no todo até foi positivo. Alguns percalços no caminho, com o Nilo V.O. (Brasil) a ser eliminado na avaliação veterinária e a Oxalys da Meia-Lua (Portugal) a empinar-se a meio da prova, assustada com o monstruoso monitor de projecção, que aumentava os bichinhos em 10x... situação pela qual também passou Stachmo, da campeã alemã Isabel Werth e quase a fez perder o Grande Prémio Especial... já nos treinos vários cavaleiros se haviam queixado à organização contra o monitor, inclusivamente Stachmo se havia empinado de tal maneira que, por sorte, não caiu sobre as costas...
Há que não esquecer que aqui competem dois seres vivos, com vontades diferentes e que a vontade do animal é mais dificil de gerir do que a vontade humana... no entanto, há vontades de ferro. Hayley Beresford é dona de uma delas: há três anos foi-lhe diagnosticado cancro da mamã e apesar dos violentos tratamentos a que esta doença é sujeita, nunca deixou de montar o seu Relâmpago e prepará-lo para estes Jogos Olímpicos.
Essa vontade levou Relâmpago do Retiro a conseguir um brilhante 19º lugar no Grande Prémio Especial.
No final, o balanço da participação foi esta:
GRANDE PRÉMIO ESPECIAL
Hayley Beresford c/Relâmpago do Retiro (AUS) - 19º lugar
GRANDE PRÉMIO
Hayley Beresford c/Relâmpago do Retiro (AUS) - 26º lugar
Daniel Pinto c/Galopin de la Font (POR) - 33º lugar
Carlos Pinto c/Notável JCL Puy du Fou (POR) - 39º lugar
Luíza Almeida c/Samba (BRA) - 40º lugar
Leandro Aparecido c/Oceano do Top (BRA) - 43º lugar
Miguel Ralão Duarte e a sua Oxális da Meia Lua retiraram, pois o valente susto da Oxális seria fortemente penalizado, para além de a ter desconcentrado totalmente e ter perdido a capacidade de executar o resto da prova nas mínimas condições.
Nestes Jogos Olímpicos, contudo, ficou a mensagem de que o Cavalo Lusitano tem um enorme potencial a ser desenvolvido. Foi a 2ª raça com maior número de cavalos presentes (bem à frente de nuestros hermanos, com o seu Fuego XII - 16º lugar da geral e único Pura Raza Española) e representou 3 países: Portugal, Brasil e Austrália.
Há ainda um longo caminho a percorrer mas, para isso, era preciso que o Estado e a Nação fossem outros. Ao contrário de que acontece em Portugal, Fuego XII é propriedade do Estado Espanhol... se o mesmo acontecesse em Portugal, nem nos aos Europeus chegaríamos....

9 comentários:

mtheman disse...

deixa lá, todos os nossos "atletas" não têm saído da mediania... safou-se a grande vanessa até agora...

Kikas disse...

Ainda nos restam o Nélson Évora e a Naide Gomes. A ver o que eles são capazes de fazer... se resistirem à pressão pode ser que consigam chegar ao pódio... o nosso (generalizando a atitude de alguns atletas) é que prometemos muito, não somos humildes. A Vanessa sempre disse que ía fazer o melhor possível, nunca prometeu nada, nunca se iludiu nem a nós :-)

Rocket disse...

começa-se ao contrário.

primeiro constrói-se o país. esse irá gerar atletas, e valores.

o que temos nem se basta, quanto mais uma selecção olímpica... é uma sorte aparecer uma vanessa, um nelson, ou uma naide...

bjinhos cavalinhos

Kikas disse...

Rocket,
Continuamos a construir as casas pelo telhado, a querer ganhar os louros sem esforço. Pois neste país tudo espera que as coisas caiam do céu... até o próprio governo quando diz que a falta de apoio e financiamento não é desculpa. Até é, se virmos bem o investimento foi maior porque além da comitiva ter mais atletas, o local da prova também era mais distante, o que implicava necessariamente um aumento dos custos de deslocação.
E o investimento, para dar resultados, tem de ser constante e não apenas a 2/3 anos do acontecimento. Não é nesse curtissimo espaço de tempo que se fazem campeões.

Principessa disse...

você anda a ler a "minha" Revista/Site...! ehehe Ai não anda? Pois devia! :P

Kikas disse...

Principessa,
eu já descobri a careca à menina à muiiiiiiiiiitoooooooooo :-)))
Eh eh eh

Principessa disse...

Ai não me assustes!! Ao menos gostas das careca?! :P

Kikas disse...

Principessa,
como diz o outro "Tu tás lá!" :-)) Os bichinhos cativam-nos, não é? É impossível não gostar, mesmo com o cheiro a cavalum :-))

Principessa disse...

e mete cheiro nisso!! eh eh