sexta-feira, dezembro 28, 2007

Balanço de 2007 e Resoluções para 2008

A 3 dias do fim de 2007 é meu "dever" balancear as contas deste período que termina de modo a que possa iniciar o novo ano com o saldo a 0's... mas.................................. faltam-me as palavras para vos expor o que aconteceu e o que deixou de acontecer.

E não porque não haja nada para contar mas porque ficaram algumas contas por ajustar que não consigo (ou não tenho coragem para o fazer) sem magoar pessoas que me rodeiam e com as quais não pretendo aborrecer-me.

Porque a familia é sempre família, calha-nos em sorte, não somos nós que a escolhemos e como tal temos de a aceitar e entender que, antes de todos, é a familia o nosso primeiro elo de ligação com tudo o resto.
Eu gosto da minha família, apesar de tudo o que se tem passado e de muitas pessoas entenderem ao contrário. Tenho é uma forma, se calhar, diferente de o demonstrar mas nunca, uma única vez que fosse lhe virei as costas, a reneguei ou deixei de ajudar quando podia. Faço por eles e por quem eu acho que merece o meu auxílio. No dia em que me falharem ou desiludirem, então deixarei de ser quem era, mudarei de atitude. E não há, muitas vezes, grande volta a dar-me porque quando me chateio, é mesmo a sério e depois de me chegar a mostarda bem acima do nariz. Só que há quem só veja sorrisos e piadas parvas em vez de ver atitudes e comportamentos.

Talvez por isso, por não admitir certas atitudes de determinadas pessoas, o meu 2007 não foi o melhor ano da minha vida. Serviu, no entanto, para ver quem está lá e quem não está. A quem posso pedir que guarde um segredo e quem não enxerga que, por falar demais, trás problemas aos outros. Quem pensa que tenho algo a esconder sem tentar perceber primeiro se assim é e quem toma partidos sem saber as diferentes versões das histórias. Quem ainda pensa em mim apesar de tudo e quem acha que a minha desconfiança é pessoal e não entende que é generalizada.

Serviu também para perceber que há decisões que não se podem tomar de cabeça quente, é preciso ponderá-las para não nos arrependermos mais tarde.

Foi um ano de esforço. Não foi um ano difícil porque se tivesse sido eu não teria conseguido passar para o 2º ano de faculdade. Não foi um ano difícil porque se tivesse sido eu teria passado fome ou ter-me-ia endividado até ao pescoço. Não foi um ano difícil porque se tivesse sido eu teria perdido o emprego ao invés de mudar de emprego.

Foi um ano de esforço porque apesar de tudo o que passei, sobrevivi e aprendi a gerir-me melhor (tempo e dinheiro).
Foi um ano de esforço porque consegui completar o 1º ano de faculdade (ok, deixei uma cadeira pendurada) e atirei-me para o 2º ano, não com muita vontade mas com a certeza de que o vou concluir.

Por isso, as minhas resoluções para 2008 são:
- APRENDER, DE UMA VEZ POR TODAS, A DAR-ME VALOR E A CAGAR PARA QUEM AINDA ACHA QUE SOU CAPRICHOSA E NÃO ME ESFORÇO PARA NADA
- Ser FELIZ (como toda a gente quer) e saber diferenciar os gajos (sim porque ainda não os consigo topar à légua)
- realizar-me profissionalmente (sim, porque acho que não vou ficar aqui por muito tempo, hi hi hi)
- atirar-me aquele colega de faculdade que olha para a minha tromba feia com uns olhinhos amorosos e que a 1ª vez que me chamaram a atenção para ele, eu disse "Estão parvas????" (mas isto é só da boca para fora porque a verdade, a verdade é que não tenho lata nem jeitinho nenhum para isso ;-))

E assim, meus caros, para vós desejo-vos o seguinte:
SAÚDE, primeiro, porque sem ela não poderão gozar a FELICIDADE que o novo ano vos trará e não poderão ganhar o DINHEIRO que é preciso para gozar a vida ao máximo e que, no meio disto tudo, o AMOR seja o motivo dos vossos sorrisos ;-))

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Rua Sésamo

Hoje uma colega da faculdade andava a cantarolar isto e, de repente, larga-se a rir e anuncia: "meninas, quando chegarem a casa vão ver os vossos mails!"

E vim e percebi o porquê do riso! Quem não se lembra da Rua Sésamo?

Como este blog anda a precisar de um abanão, 'bora lá então avacalhar com isto :-)




Ora pois bem, eu até cantava isto na rua porque a verdade a verdade é que isto não tem malícia nenhuma, aliás, era pedagógico no meu tempo (sim, porque eu ainda sou do tempo da Rua Sésamo, tá?).

Mas convenhamos que andar para aí a cantarolar que "Eu tenho orgulho em ser uma vaca!"... quer-se dizer... bem, antes isso do que "Só eu sei porque não fico em casa" e outras pérolas da música portuguesa que tais, mais assim para o vermelhuscas mas também de pôr pimenta na língua ;-)

Mas numa coisa a vaquinha tem razão: antes ser vaca que gata porque ao menos as vacas têm a "pele macia", ao contrário das gatas que deixam muito gato com pêlo atravessado na garganta e, quando se chateiam, marram a sério não é cá arranhões com unhas afiadas... o impacto é bem maior! (lol, já estou a imaginá-los a ir p'los ares, he he he).

Eeeee mais importante aindaaaaaaaaaa... as vacas são úteis! E os gatos, que utilidade têm apra além de afiarem unhas nos sofás, treparem cortinados, subirem aos móveis, brincarem com as coisas mais parvas,.......?

As vacas, pelo contrário, servem de muito! Dão xixa e leitinho à malta e ainda podemos aproveitar a pele delas para muitas coisas (casacos, malas & so on...).

E vocês, o que preferem ser?

terça-feira, dezembro 04, 2007

Grandes Mudanças - ACTUALIZAÇÃO

Tcham, tcham, tcham, tcham!!!!!

Tal como prometido, aqui estou eu para contar então as novidades! Pronto, OK, era suposto ser ontem mas deixei para hoje para dar mais ênfase e criar maior expectativa :-))

Pois bem, meus caros e minhas caras, a Staples Office Centre já lá vai! Abandonei o barco, como me acusaram (até à última é só disparar tiros...)! Fartei-me de 6 anos a aturar uma empresa que não muda nem quer mudar, apesar das aparências exteriores de sucesso e inovação. Fartei-me de encontrar receitas para fazer omoletes sem ovos e de navegar num barco onde cada um rema para seu lado. Ainda não percebi como é que não foi ao fundo já mas dúvido que resista muito mais tempo, infelizmente. E digo infelizmente porque deixei lá bons colegas de trabalho e outros fui-los perdendo ao longo do tempo, à medida que também eles ganhavam bolhas nas mãos de tanto remar contra a maré.

Mas o que fica, ao fim de 6 anos, é uma mistura agridoce, melancólica e algo frustrada de ter trilhado caminhos tão altos e, de um momento para o outro, ser posta de lado. Ficam as recordações. E essas, por serem tão somente recordações, estão lá atrás, no passado. Até o meu ex ex-chefe me fez chorar! Foi o único, também, pelo qual me foi mais dificil tomar a decisão. Acreditou sempre em mim e puxou por mim como nenhum outro fez. Se há chefes nas empresas, ele não o é certamente. Ele é mais do que isso. É um lider!

Agora é aprender a caminhar de novo, cabeça erguida e confiante que o futuro me trará coisas boas! Só tem 1 senão................ tenho de me levantar às 7h 30 :-((((((((( Oh que saudades da minha caminha.....