segunda-feira, outubro 23, 2006

Finalmente, nua e crua!

Olá!!!!

Então como estão as minhas cachopas? Espero que estejam todas bem, pelo menos melhor que eu que já não tenho quem me aconchegue nestas noites frias e chovosas que se adivinham com a chegada do Inverno... nem lareira (acho que é este ano que vou tomar de assalto a casa da prima :-)) Expulso a gata e torno-me eu no bicho de estimação da Tânia e do Paulo. Não sou muito diferente, que é que julgam? Só me falta mesmo é o pêlo porque gata, fofinha e lãzuda sou eu! Uma verdadeira GATA!

Pois, mas não querendo fazer muita publicidade aos meus atributos, passo a publicidade a quem tem jeito para escrever nestas coisas, chamadas blogs, e do qual até já se fazem livros!

Quem viu o Herman Sic da semana passada, sabe do que falo. Finalmente, apareceu 1 gaja a falar nua e crua sobre nós, MULHERES (sim, mulheres com letra maiúscula que as outras que não admitem que têm prazeres sexuais não passam de "pãezinhos sem sal" e às quais os seus respectivos põem os cornos - estamos a falar em português, certo? - porque se cansam de tanta falsidade).

Para as curiosas, e não só, mais para aquelas que se assumem como MULHERES, aqui está um blog que vos vai dar boas gargalhadas e esquecer que, lá fora, faz chuva e trovoada:

http://cenasdegaja.com/

Façam o favor de lá irem e aprender alguma coisa, suas "pãozinho sem sal"!

B'jinhos!!!!

2 comentários:

Tânia Martins disse...

Olá Cachopa!

Prima estás à vontade para te apoderares do chão em frente à lareira ;-) (é o lugar da margarida assim que acendo a lareira)
Agora tirares o lugar da margarida é impossivel... Ela é insubstituível.

Beijos

Anónimo disse...

Tenho de fugir da minha vida senão
Oxalá nunca mais nimguém dê por mim
Já agora sabem que tenho umas belas calças pretas
Não possoa mais sem fugir
Mas depressa me encontro
Vou longe demais um dia
Embora morto dou com a vida
Embora vivo darei uma com a morte
Lá fujo, fujo mas encontro tudo bem depressa